A Bahia ainda está fora da RBCIH.

Salvador: a mais bem colocada no ranking. (Reprodução: wikimedia)

Vergonhosamente, nenhum município do Estado da Bahia participa da RBCIH – Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas. A RBCIH foi criada em 2013, no âmbito da Frente Nacional de Prefeitos – que congrega as 350 maiores cidades brasileiras -, e reúne secretários e dirigentes municipais de ciência, tecnologia e inovação, bem como secretários municipais de desenvolvimento econômico, profissionais, pesquisadores, empreendedores e estudantes dos setores acadêmico, privado e público, com objetivo de trocar informações e experiências para o desenvolvimento das cidades. Para a RBCIH, cidades inteligentes e humanas são aquelas que sustentam sua própria evolução contínua tendo como metas o bem-estar, a qualidade de vida e o empoderamento do cidadão e das comunidades locais, sustentando seu desenvolvimento em ações, projetos e políticas públicas que promovam de modo igualitário a colaboração entre comunidade, poder público e sociedade civil para a mediação e solução de conflitos e promoção da criatividade local, utilizando para isso tecnologias avançadas de interação social e uma infraestrutura tecnológica resiliente, interoperável e transparente de geração e gestão de dados de modo aberto e acessível em constante aprimoramento e evolução, permitindo melhorar, incrementar e automatizar as funções da cidade de modo eficiente, integrado, sustentável e relevante para a população.

A RBCIH é a autora do projeto Indicadores para Avaliação de Cidades Inteligentes e Humanas, que visa avaliar a qualidade dos serviços públicos (seja no meio presencial ou eletrônico) prestados pelos municípios, de acordo com a conveniência para o cidadão, bem como via propiciar um ambiente de troca de informações e apoio para os municípios criarem suas leis, seus ecossistemas de inovação, seus laboratórios vivos, seus aplicativos, seus softwares, suas soluções tecnológicas, bem como a implementação da lei de transparência e desenvolvimento de suas PPPs (Parcerias Público Privadas). Também busca oferecer apoio à implantação de ações de gestão pública que permitam utilizar as facilidades das TIC’s em favor da melhoria da qualidade de vida do cidadão e da cidade, de modo que se tornem Cidades Inteligentes e Humanas, a partir de vários indicadores. Dentre os indicadores, destaque para a criação do Índice Brasileiro de Cidades Inteligentes e Humanas e de um Selo Certificador, tendo como base indicadores que reflitam a aderência do município aos critérios selecionados pela RBCIH, tendo como base ISO 37120.

Apesar de um levantamento feito em 2016 pela Urban Systems apontar, dentre 50 cidades avaliadas no Brasil, Salvador (10ª colocação) e Camaçari (39ª posição) como  cidades inovadoras, a Bahia ainda não tem um município participante da Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas.

Nasce uma nova marca.

Vista áerea da orla de Lauro de Freitas
Vista áerea da orla de Lauro de Freitas

É com muito orgulho que anunciamos o surgimento de uma nova marca no mercado jurídico baiano: Ricardo Passos Advocacia.

Fruto de experiência de anos de mercado, o escritório está devidamente registrado na Ordem dos Advogados da Bahia, sob o nº 1.600/2008, e vem passando por mudanças, de gestão e de foco, até o alcance do estágio atual de excelência e dedicação. A nova marca do escritório busca ampliar a fatia de mercado de serviços advocatícios na Bahia, em especial em Lauro de Freitas e Salvador.

Faz parte da estratégia de ampliação de market share a nova comunicação com os clientes. Por isso, este blog é dedicado à você, cliente, para manter-se atualizado sobre as novidades do escritório, as notícias jurídicas e, é claro, as novas tecnologias.

Sejam todos muito bem vindos!